SaúdeTodasMarília confirma primeiro caso de leishmaniose em humano de 2020. Tupã teve seu primeiro caso registrado em janeiro.

Redação Redação4 de fevereiro de 2020
https://i2.wp.com/portal.maistupa.com/wp-content/uploads/2018/02/leishmaniose.jpg?fit=668%2C535&ssl=1

Informe da Secretaria Municipal da Saúde de Marília, publicado no Portal da Transparência da Prefeitura, confirma o primeiro caso de leishmaniose visceral em humanos em 2020. A paciente é uma mulher de 38 anos que mora na zona Norte.

O resultado positivo foi confirmado à Vigilância Epidemiológica nos primeiros dias do ano e já consta no relatório do período de 1 a 17 de janeiro. A paciente mora no Jardim Santa Antonieta, região que registra grande parte dos casos de leishmaniose da cidade.

Conforme apurado, as suspeitas da doença surgiram no ano passado. Inicialmente, os médicos que analisavam o caso desconfiaram de câncer.

A paciente era tratada na rede particular e após o diagnóstico está sendo assistida também no Serviço de Atendimento Especializado (SAE), que é vinculado ao município e trata infecções mais complexas.

Tupã

Em Tupã esse ano, um caso foi confirmado em janeiro de leishmaniose visceral em humano. O paciente foi
uma criança de 4 anos. Já em 2019 foram 6 casos confirmados e 01 óbito, uma mulher de 58 anos, moradora da Vila Indústria. 

Endemia

Em 2019 a leishmaniose (visceral) matou dez pessoas no estado de São Paulo. Entre dez regiões – áreas de Vigilância do Estado – a de Marília foi a segunda com maior número de casos no ano, com 33 ocorrências. Ficou atrás apenas de Bauru, que registrou 38. Os municípios próximos a Marília com maior incidência foram Tupã (6) e Bastos (4).

A leishmaniose é uma doença infecciosa, causada por parasitas do gênero Leishmania. Há dois tipos de leishmaniose: leishmaniose tegumentar ou cutânea e a leishmaniose visceral ou calazar. Vale lembrar que a doença não é contagiosa, nem é transmitida diretamente de uma pessoa para outra. Também não é transmitida de um animal para outro, nem dos animais para as pessoas. A transmissão do parasita ocorre apenas através da picada do mosquito-palha” fêmea.

 

Sintomas em humanos

A população precisa ficar atenta aos sintomas, principalmente as que residem em áreas onde ocorrem casos de Leishmaniose Visceral. Geralmente a doença é identificada por febre de longa duração, aumento de fígado e baço inchado, perda de peso, fraqueza, redução da força muscular, entre outras possíveis manifestações. Para o tratamento da infecção, as pessoas que identificarem esses sintomas devem buscar atendimento no serviço de saúde mais próximo.

Sintomas em animais

Em animais podem ocorrer perda de peso, falta de apetite, apatia, feridas de pele que não cicatrizam, lesões oculares, falta de pelagem ao entorno dos olhos, entre outros. Ao identificar esses sintomas no animal, o encaminhe ao veterinário para a realização do tratamento adequado.





Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso.


Comentários

Contato (14) 3722 8957 Endereço Rua Cherentes, 250 - 11° andar - sala 113. Tupã-SP Cep 17.600-090 e-mail: [email protected]

Enable referrer and click cookie to search for activated