SaúdeTodasLucélia registra 107 casos de dengue em 15 dias. Em Tupã foram registrados apenas 7 casos até agora

Redação Redação16 de janeiro de 2020
https://i1.wp.com/portal.maistupa.com/wp-content/uploads/2019/05/dengue5.jpg?fit=1200%2C675&ssl=1

A cidade de Lucélia está em alerta devido à grande quantidade de casos de dengue registrados nos primeiros 15 dias de 2020. Apenas este ano foram 107 registros, número bem superior ao de janeiro de 2019, quando o Município teve apenas um caso confirmado.

Segundo divulgado a  Prefeitura de Lucélia deverá decretar situação de emergência, que possibilita a execução de ações para o controle da doença. Entre as medidas estão a autorização de entrada “forçada” dos agentes de endemias nos imóveis fechados ou com recusa e a contratação de médicos para suprir a alta demanda de atendimentos. Atualmente a cidade está sem inseticida que mata o mosquito na fase adulta e sem larvicida. Ambos os produtos são fornecidos pelo Governo Federal.

Em todo o ano passado, a cidade registrou 495 casos de dengue.

Tupã

Tupã viveu em 2019 a maior epidemia da história, motivo pela qual levou o ex-prefeito Ricardo Raymundo ser cassado pela Câmara Municipal por ineficiência na gestão dos serviços público. Desde então, o governo Caio Aoqui vem ampliando os trabalhos de combate à dengue.

Nesta primeira quinzena de 2020, a cidade registrou apenas 07 casos da doença. 

O chefe do Setor de Combate a Endemias, Marco Antônio de Barros, destacou que os trabalhos de busca ativa por criadouros e focos do mosquito serão intensificados no primeiro trimestre deste ano. “Devido à falta de eficiência dos trabalhos em combate à dengue nos anos anteriores, ainda existe uma grande quantidade de criadouros do mosquito espalhados pelo município. Portanto, para ampliar a solução deste problema, além da intensificação de visitas no primeiro trimestre de 2020, no final de 2019 realizamos a aplicação do larvicida biológico alguns locais considerados prioritários”, informou.

Graças à parceria firmada com a Universidade Estadual de Londrina (UEL), a partir de março a prefeitura implantará armadilhas de ovitrampas, que simulam o ambiente perfeito para o “Aedes aegypti”, porém inibem a procriação do mosquito com o uso de larvicida. Outra medida será a realização da 2ª Gincana “Todas as Escolas Contra o Aedes”, para ampliar a retirada de materiais acumuladores de água do meio ambiente e o diferencial desta edição será a participação das pré-escolas.





Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso.


Comentários

Contato (14) 3722 8957 Endereço Rua Cherentes, 250 - 11° andar - sala 113. Tupã-SP Cep 17.600-090 e-mail: [email protected]

Enable referrer and click cookie to search for activated
error: Content is protected !!