SaúdeTodas“Mosquitos do bem”: método que usa bactéria para reduzir transmissão do mosquito da dengue é usado no Rio de Janeiro

Agencia do Rádio Agencia do Rádio3 de dezembro de 2019
https://i0.wp.com/portal.maistupa.com/wp-content/uploads/2019/12/mosquitos.jpg?fit=1200%2C675&ssl=1

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, esteve nesta segunda-feira (2), em Niterói (RJ), na ação de combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika e chikungunya. A ação ocorreu na Clínica Comunitária da Familia, onde foram liberados os chamados “mosquitos do bem”, que consistem em vetores contaminados com a bactéria Wolbachia. Essa bactéria reduz a capacidade de transmissão de doenças que afetam os seres humanos.

O governo federal já investiu, em 2019, aproximadamente 22 milhões de reais no método Wolbachia. Quem coordena a ação com a bactéria no Brasil é a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

O pesquisador da Fiocruz Luciano Moreira, responsável por trazer o método para o Brasil, dá mais detalhes de como esse procedimento pode combater a proliferação do mosquito da dengue.

“A ideia do método é fazer uma série de liberações de mosquitos a cada semana, por cerca de 16 a 20 semanas em uma determinada localidade. Então, ao liberar esses mosquitos contendo a bactéria, eles vão cruzar com os mosquitos locais e a fêmea do mosquito passa, através dos ovos, para todos os seus descendentes. Então, com o tempo, aquela população vai ser toda substituída por mosquitos que contenham a Wolbachia.”

Moreira ressalta ainda que a medida é complementar às demais ações de prevenção e lembra que a população deve manter os esforços para o combater o inseto, como manter recipientes limpos e sem água parada.

O Wolbachia já foi utilizado em 28 bairros do Rio de Janeiro e 33 de Niterói. A estimativa é que mais de um milhão de pessoas já tenham sido beneficiadas pelo método.

O Ministério da Saúde deve apoiar, no próximo ano, a soltura de mosquitos com Wolbachia nas cidade de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, Petrolina, em Pernambuco, e em Belo Horizonte, capital de Minas Gerais. Fortaleza, Foz do Iguaçu e Manaus também estão entre as cidades que devem receber o método.





Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso.


Comentários

Contato (14) 3722 8957 Endereço Rua Cherentes, 250 - 11° andar - sala 113. Tupã-SP Cep 17.600-090 e-mail: [email protected]

error: Content is protected !!