CotidianoTodasÍndice de infestação do Aedes cai 67% em comparação a 2018

Redação Redação30 de outubro de 2019
https://i1.wp.com/portal.maistupa.com/wp-content/uploads/2019/06/dengue6.jpg?fit=1200%2C675&ssl=1

Apesar do aumento da temperatura e das chuvas registradas nos últimos dias, Tupã continua mantendo a dengue sob controle, graças às ações integradas de combate ao mosquito Aedes aegypti (transmissor da dengue, zika e chikungunya), iniciadas em junho.

O fato pode ser comprovado pelo Levantamento Rápido de Índices por Aedes aegypti (LIRAa) divulgado na última sexta-feira e validado pelo encarregado da Superintendência de Controle de Endemias (Sucen – base Adamantina), Aparecido Donizeti Berlatto Martins. Ele esteve em Tupã acompanhando o trabalho de visitação dos imóveis para a tabulação do índice de infestação do Aedes no município.

De acordo com o chefe do Setor de Endemias, Marco Antônio de Barros, a equipe da Secretaria Municipal de Saúde visitou 1.141 imóveis entre os dias 18 e 24 de outubro, sendo encontrados 23 focos do Aedes aegypti em 21 imóveis, o que representa um índice de infestação de 1.9.

O resultado, que ratifica a eficiência das novas ações de combate ao Aedes adotadas pelo atual governo, foi validado pela SUCEN e encaminhado para a central do estado e posteriormente ao Ministério da Saúde. Segundo Barros o novo índice LIRAa mostra uma redução de 67% em comparação ao ano passado, quando foi registrado índice de infestação de 5.8.

Barros também explicou a importância do LIRAa, considerado instrumento fundamental para o controle do vetor e das doenças. Segundo ele, todos os municípios brasileiros são obrigados a realizar a medição (LIRAA) no mês de outubro e enviar os dados até 15 de novembro para o Ministério da Saúde.

Esses dados servem como amostragem ao setor de Vigilância em Saúde do Governo Federal para monitorar a situação de infestação de Aedes Aegypti em cada município antes do verão. “Com base nas informações coletadas, o gestor pode identificar os bairros onde estão concentrados os focos de reprodução do mosquito, bem como o tipo de criadouro predominante. O objetivo é que, com a realização do levantamento, os municípios tenham melhores condições de fazer o planejamento das ações de combate e controle do mosquito. Prova disso foi o que aconteceu com Tupã, que no passado registrou um índice altíssimo de infestação do mosquito. Apesar da situação alarmante, a administração anterior não adotou medidas mais contundentes para combater o Aedes aegypti, o que resultou na maior epidemia de dengue da nossa história, com 6.240 casos de dengue registrados neste ano, inclusive com 7 mortes”.

           

Alerta constante

O chefe do Setor de Endemias lembrou também que apesar da queda expressiva no índice de infestação do Aedes, que inclusive ficou abaixo da meta prevista após o início das ações integradas, no mês de junho, a prefeitura continua em situação de alerta constante contra o mosquito.

“Durante o planejamento e execução do novo Plano de Combate à Dengue adotada pela atual administração fixamos como meta um índice máximo de infestação de 2 no LIRAa. Conseguimos obter um resultado abaixo da meta, o que comprova a eficiência das ações integradas no combate ao Aedes aegypti, unindo as secretarias de Saúde; Planejamento, Obras e Trânsito; Agricultura Educação e Meio Ambiente; e Educação. Apesar dos resultados positivos, continuamos alerta e reforçamos o pedido para que a população continue atenta para evitar riscos de nova epidemia de dengue em nossa cidade”, alertou.

A preocupação se deve ao fato de que todos os 23 focos encontrados no último LIRAa poderiam ter sido evitados se os recipientes fossem mantidos constantemente limpos. Segundo Barros, foram encontrados 1 foco em bromélia, 2 em ralo externo, 15 focos em material reciclável, 3 em caixa d’água, 1 em pneu e 1 foco em masseira.

Ele informou ainda que o LIRAa apontou elevado número de focos na Zona Sul e no 2º Distrito Industrial, onde foram encontrados 8 dos 23 focos de larvas de Aedes. Para evitar a propagação do mosquito as equipes do Setor de Endemias já intensificaram os trabalhos de eliminação de criadouros nesses locais na última sexta-feira.

“Os 23 focos poderiam ter sido evitados se houvesse uma limpeza periódica destes recipientes. As novas ações de combate à dengue têm sido eficientes, como mostra a queda drástica do número de novos casos da doença e na grande diminuição nos focos do Aedes, mas para que a dengue continue sob controle em nossa cidade é essencial a cooperação da população para que possamos eliminar os focos do mosquito de todos os bairros da cidade”, lembrou.





Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso.


Comentários

Contato (14) 3722 8957 Endereço Rua Cherentes, 250 - 11° andar - sala 113. Tupã-SP Cep 17.600-090 e-mail: [email protected]

error: Content is protected !!