RegiãoTodasAlunos de medicina da UniFai fazem protesto e paralisam atendimentos à população.

Siga Mais Siga Mais23 de outubro de 2019
https://i0.wp.com/portal.maistupa.com/wp-content/uploads/2019/10/medicina1.jpg?fit=1200%2C675&ssl=1

Os alunos do curso de medicina do Centro Universitário de Adamantina (UniFAI) suspenderam as atividades de atendimento ao público nos serviços de saúde da cidade, nesta quarta-feira (23) e realizaram uma manifestação pacífica, com carreata que deixou o Campus II e seguiu pelas ruas da cidade.

Com o ato, os estudantes mostram um novo descontentamento em relação ao internato, que a partir do ano que vem começa a ser realizado na Santa Casa de Araçatuba.  A motivação do descontentamento está em uma carta aberta publicada na fanpage União Medicina UniFAI.

Os atos públicos dos estudantes de medicina, com pautas de reivindicação que repercutirão na qualidade e reputação do curso e da instituição, e nos serviços à comunidade, têm se tornado frequentes. Em fevereiro do ano passado protestaram contra nomeações feitas pela UniFAI,  entre as quais da professora doutora Marisa Cardin para a coordenação do curso (reveja), que depois solicitou o cancelamento de sua nomeação (reveja). Já em novembro do ano passado eles foram às ruas cobrando definições sobre o internato, o que ainda era um panorama incerto (reveja). E mais recentemente, também se posicionaram contra uma portaria que designou Marisa Cardin como gestora do termo de colaboração firmado entre a UniFAI e a Santa Casa de Araçatuba, levando a UniFAI a fazer outra nomeação (reveja).

Os alunos citam exemplos de outras instituições de ensino, inclusive públicas, onde é aplicado um desconto na mensalidade do curso, nesse período de internato, já que não há atividade em sala de aula, ficando o período com atividades práticas assistidas por preceptor no ambiente hospitalar e, sobretudo, pelo fato do internato ocorrer em outra cidade, a 110 km de Adamantina, de grande porte, onde passarão a residir e o custo de vida é maior.

A reitoria da UnIFAI e o prefeito reconheceram isso, tanto é que foi enviado pelo Poder Executivo à Câmara Municipal, e lido na sessão ordinária da última segunda-feira (21) o Projeto de Lei Nº 073, de 18 de outubro de 2019, cuja justificativa que compõe a Mensagem da proposta destaca que a iniciativa legal visa recompensar os custos e despesas com deslocamento e possíveis mudanças de domicílio dos internos para o local do internato.

A PL assinado pelo prefeito Márcio Cardim autoriza o reitor da UniFAI a conceder desconto de 5% sobre o valor da mensalidade ou semestralidade, exclusivamente aos alunos submetidos ao regime de internato na Santa Casa de Araçatuba, pelo período de duração do termo de colaboração firmado entre a UniFAI e a unidade hospitalar.

O valor não agradou aos estudantes, que tinham uma expectativa maior, e usam como referências os descontos aplicados em outras instituições de ensino, inclusive municipais, em situações da mesma natureza. Os estudantes fizeram estudos e apresentaram planilha à UniFAI.

Também foi lido em plenário o Projeto de Lei Nº 072, de 18 de outubro de 2019, que altera a Lei Municipal Nº 3.748, de 8 de março de 2017. Desde 2017 a legislação autoriza desconto de 5% sobre o valor da semestralidade ao aluno que optar pela quitação desta no ato da matrícula ou da rematrícula. O novo PL fixa um prazo para que o interessado goze do benefício, acrescendo que o desconto será concedido desde que a semestralidade seja quitada até o último dia útil do mês de reabertura para matrícula, de acordo com o calendário da instituição, e traz uma novidade: desconto de 2% sobre o valor da mensalidade, desde que quitada até o dia 10 de cada mês de seu vencimento.

Lidos em plenário, os projetos foram distribuídos aos vereadores e às comissões permanentes. De acordo com o regimento interno da Câmara Municipal, o prazo para votação é de até 90 dias.

Aposta da UniFAI

A UniFAI aposta que o conjunto de leis repercutirá em um desconto final que pode chegar a 12%, sendo 5% já possíveis de serem aplicados desde 2017, e as duas novidades: 5% para alunos sob internato e mais 2% sobre o valor da mensalidade quitada até o dia 10. E aposta, também, em outras facilidades criadas neste ano com a Lei Municipal Nº 3.915, de 2 de setembro de 2019, que cria diversos programas financeiros de incentivo acadêmico a todos os estudantes da instituição.

Carta aberta dos estudantes

Em carta aberta, publicada na fanpage União Medicina UniFAI, os estudantes detalham a motivação pelos protestos e paralisação dos atendimentos à comunidade adamantinense. O Siga Mais publica o texto na íntegra. Leia:  

Nós, alunos de medicina do Centro Universitário de Adamantina (UniFAI), viemos por meio desta, em respeito à população adamantinense e todo e qualquer paciente que busque aqui ser atendido, esclarecer os motivos da paralisação geral dos alunos no dia 23/10/2019. Ontem [segunda-feira, 21], em sessão da câmara de vereadores de Adamantina, foi lido um projeto de lei, protocolado pelo prefeito Marcio Cardim, concedendo 5% de desconto sobre o valor da mensalidade ou da semestralidade, exclusivamente aos alunos em regime de internato na Santa Casa de Araçatuba.

Para que todos possam entender: o curso de medicina requer 6 anos de formação, sendo os 2 últimos anos em regime de internato, onde o aluno fica exclusivamente no hospital, prestando seus serviços a comunidade e coloca tudo o que aprendeu em teoria nos 4 primeiros anos em prática no 2 últimos, ou seja, deixamos de ser alunos e passamos a ser mão de obra, colaborando quantitativamente e qualitativamente para a melhora da saúde no nosso município. O grande problema está na falta de planejamento! A primeira turma entrou no meio de 2015, 6 meses depois veio a segunda turma, 1 ano depois a terceira e a cada novo ano, entra uma nova turma. Era de conhecimento geral, tanto do prefeito (que alcançou a prefeitura tendo antes sido nosso Magnifico Reitor), quanto dos posteriores reitores, secretários de saúde e todos e quais quer possíveis responsáveis, que todo esses alunos precisariam obrigatoriamente passar por esse período de 2 anos em hospitais com o mínimo de infraestrutura para que nosso aprendizado seja completo e digno. Agora eu pergunto a vocês, meus caros: O QUE FOI FEITO ATÉ O MOMENTO? Como frequentadores da santa casa e ambulatórios, sabemos que o mínimo! O mínimo para nos acomodar até o momento, para atendermos nossos pacientes com o mínimo de conforto. Temos consciência da aprovação do Centro Integrado de Saúde, onde Adamantina saiu totalmente à frente de outras cidades que também foram contempladas com UPAs e tiveram que rever seu destino. Sabemos do gigantesco passo para nós e para a saúde de Adamantina que isso representa. O bloco 5 no campus II, destinado as Ciência da Saúde, que tinha sua entrega prometida para final de 2018, depois de vários adiamentos e entraves com licitações finalmente está sendo acabado e provavelmente será inaugurado ano que vem (ano eleitoral, não esqueçam de fazer a biometria!).

Mas de volta ao internato… a primeira turma, já se encontra em regime de internato, os primeiros 6 meses são realizados aqui em Adamantina na rede básica, mas por essa falta de planejamento e organização de estrutura física, no início do ano de 2020, deixarão Adamantina e irão para Araçatuba concluir o curso. Daqui 6 meses a turma 2 terá o mesmo destino. A turma 3 e as seguintes seguem com destino incerto por terem maior número de alunos. O projeto de lei protocolado ontem então, além de contemplar apenas as duas primeiras turmas com um desconto insignificante, não garante nada as turmas seguintes. Além de não deixar claro em sua descrição se esse desconto se sobrepõe aos outros descontos já concedidos até o momento.

Sendo assim, o pedido para o desconto de internato é para que quando tivermos que nos deslocar, consigamos arcar com os custos de morar em uma cidade maior, com custo de vida maior, tendo virado mão de obra para o municio. “Mas se trata de outro município, como fica a UniFAI nisso tudo?” Mesmo que a UniFAI nos contemple com um desconto justo, assim como os fornecidos pela maioria das faculdades de medicina, incluindo autarquias municipais (como a UniFAI), ela ainda lucraria em torno de 50% da nossa mensalidade, já que um valor tem que ser repassado para a instituição que receber os alunos.  É sempre importante ressaltar que autarquias municipais são instituições que não visam lucro, mesmo tendo a UniFAI 45 milhões de reais em caixa.

Mais uma vez, viemos pedir o apoio da população e sua compreensão para recebermos o que sempre cobramos: direito de estudar, direito de ter uma formação digna, direito de não sermos explorados financeiramente. Queremos apenas o que nos é de direito, queremos justiça. Seremos sim médicos éticos, mas não será pelos bons exemplos que tentam nos enfiar goela abaixo.

Desculpem o transtorno quanto as consultas, os pacientes que tiveram suas consultar canceladas podem ter a tranquilidade que serão atendidos em breve. Quanto a nós, não podemos ter a mesma certeza, mas seguimos na luta e não vamos parar! (Fonte: União Medicina UniFAI).

UnIFAI divulga investimentos de mais de 12 milhões no curso em 15 meses

Em conteúdo distribuído pelo prefeito Márcio Cardim em seu WhatsApp, um texto informa que a UniFAI investiu mais de R$ 12 milhões no curso Medicina nos últimos 15 meses, realizados em infraestrutura, convênios com hospitais-escola e atividades práticas incrementam qualidade do ensino. Com crédito à Assessoria de Imprensa, o Siga Mais reproduz o texto na íntegra. Leia:

Mais de R$ 12 milhões. Esse é o valor do investimento realizado pelo Centro Universitário de Adamantina (UniFAI) somente do segundo semestre do ano passado para cá no curso de Medicina da Instituição.

Todo esse montante foi direcionado para incrementar a infraestrutura física de laboratórios, unidades de atividades práticas e demais ambientes acadêmicos, além da aquisição de equipamentos. “Dentre os investimentos que estão sendo realizados, foram mais de R$ 6,5 milhões investidos em infraestrutura no Câmpus II, R$ 343 mil na aquisição de contêineres (consultórios móveis), mais de R$ 1,7 milhão [na aquisição de] equipamentos médicos e mais de R$ 3,5 milhões repassados para as Santas Casas de Adamantina e Araçatuba para reforma e custeio de atividades de estágio”, revelou Lucas Kanevieskir, encarregado do Setor de Licitação da UniFAI.

A aplicação desses investimentos, por meio de recursos próprios, se dá por licitação pública e transparente, que é acompanhada de perto pela Controladoria Interna. “No caso das licitações, há três formas de atuação do controle interno: de forma prévia, ou seja, toda vez que vai ser aberto um processo licitatório, o controle interno verifica a legalidade daquele procedimento, se a quantidade solicitada está dentro dos princípios da razoabilidade e da proporcionalidade, além de verificar as documentações; de forma concomitante, ou seja, no momento das sessões de pregão; e de forma subsequente, após o procedimento licitatório, se tudo está de acordo com o que foi contratado”, justificou o controlador interno Pablo Sandu.

No segundo semestre deste ano foram adquiridos seis Consultórios Médicos Móveis (contêineres) equipados e climatizados que serão utilizados no atendimento à população na atenção básica.

Os consultórios estão em fase de instalação em diversas Unidades Básicas de Saúde. Além disso, uma sala de aula móvel com capacidade para 50 alunos está sendo alocada na Santa Casa de Adamantina. O foco principal dessa ação é propiciar uma estrutura adequada para o desenvolvimento prático dos estudantes e, como consequência, ampliar a capacidade de atendimento à população no município.

Já as obras de construção do Bloco V, no Câmpus II, seguem a todo vapor. O local deverá abrigar novas salas de aula e laboratórios especializados.

Entre outras ações de infraestrutura estão a reforma e ampliação dos leitos da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) da Santa Casa, que passam de quatro para dez e a conclusão do Centro Integrado de Saúde (CIS), no prédio que abrigaria a Unidade de Pronto Atendimento (UPA).

No CIS serão oferecidos serviços de Fisioterapia, Nutrição, Psicologia, Fonoaudiologia, Pediatria, Cardiologia, Infectologia e Ginecologia e Obstetrícia prestados pelos profissionais da Prefeitura. Os alunos de Medicina da UniFAI, em regime de internato, atenderão nas especialidades de Oftalmologia, Reumatologia, Cardiologia, Neurologia, Dermatologia, Endocrinologia, Ortopedia, Gastroenterologia e Moléstias Infecciosas. Já no período das 17h30 às 20 horas de terça, quarta e quinta-feira funcionará o Ambulatório de Alergias, Obesidade e Gestantes de Alto Risco.

Convênios e hospitais-escola

Mas para haver qualidade de ensino, não basta apenas o investimento na infraestrutura física. É preciso também pensar em ações dentro e fora da sala de aula. Para isso, a UniFAI tem mantido convênios para as atividades práticas que contribuem para o desenvolvimento profissional do futuro médico, entre eles, os cinco hospitais-escola que são referência para o curso na região: as Santas Casas de Adamantina, Araçatuba, Junqueirópolis e Tupã e o Hospital Estadual de Mirandópolis.

 “Nós temos o termo de colaboração com a Santa Casa de Adamantina, onde os alunos frequentam atividades de Semiologia I, II, III e IV, Clínica Médica I, II, III e IV também e essas atividades são realizadas às segundas, terças, quartas e quintas. Nesse mesmo hospital ocorre o Internato, onde há um plantão noturno de 12 horas durante a semana e de 24 horas no fim de semana. Lá eles atendem no Pronto-Socorro, nas enfermarias e também faz parte desse atendimento a preceptoria, que são os professores que acompanham esses alunos”, elencou o Prof. Dr. Miguel Ângelo De Marchi, coordenador do curso.

A UniFAI mantém ainda, junto à Santa Casa de Adamantina, um Ambulatório ligado a cirurgias, Anestesia, Endocrinologia, Cardiologia Vascular e Traumatologia. “O número de pacientes atendidos por ortopedistas docentes e seus alunos internos é muito grande. Isso agiliza também o atendimento aos nossos pacientes”, emendou De Marchi.

 “Mais recentemente, a partir da entrada dos alunos no Ciclo Clínico e no Internato, foram montados alguns laboratórios de várias especialidades. Dentre as áreas clínicas, os principais laboratórios são de Endocrinologia, Cardiologia, Neurologia, Clínica Médica e Hipertensão, além dos atendimentos nas UBSs [Unidades Básicas de Saúde]. Algumas áreas cirúrgicas também foram montadas, como Otorrinolaringologia, Ortopedia e esses ambulatórios têm funcionado com alunos e o docente preceptor o tempo todo, a partir do quarto ano da faculdade”, detalhou o Prof. Dr. Gustavo Navarro Betônico, médico nefrologista e docente do curso.

 “Os pacientes têm sido encaminhados aos ambulatórios pela rede pública, através da Central de Regulação, e encaminhados para o especialista a partir do encaminhamento de um clínico geral. O número de pacientes varia em cada laboratório, mas não menos que seis a oito pacientes por ambulatório e esses pacientes são atendidos pelo especialista junto com os alunos e, a partir daí, passam a fazer o acompanhamento, caso necessário, e são realizados os exames conforme a necessidade desse paciente”, explicou Betônico.

Para a Santa Casa de Tupã se desloca parte das turmas das disciplinas de Semiologia I, II, III e IV e Clínica Médica I, II, III e IV, que revezam com Adamantina. “Lá fazem atendimentos nas enfermarias e também em Clínica Médica, Ginecologia e Obstetrícia, Cirurgia de Cabeça e Pescoço e Oncologia”, acrescentou o coordenador de Medicina.

“Com relação à prática em atividade hospitalar, no Hospital Estadual de Mirandópolis, nas disciplinas de Semiologia I e II, que correspondem ao 3º e 4º termos de Medicina, tem sido muito gratificante. Primeiro, porque o hospital tem uma complexidade média, porém, é muito bem estruturado e sempre muito rico em pacientes com casos clínicos bem passíveis de discussão, onde os alunos têm um aproveitamento não só pelo espaço e pela receptividade, mas pela riqueza dos casos clínicos. Temos tido muitos elogios pela nossa prática naquele hospital”, destacou o Prof. Esp. Osmar de Oliveira Ramos, docente e supervisor das atividades práticas hospitalares no Hospital Estadual de Mirandópolis.

Aumento nos atendimentos

Essas ações elevaram o número de atendimentos médicos nas unidades de saúde das cidades que mantêm convênio com a UniFAI.

Em Adamantina, por exemplo, estão sendo realizadas somente pelos estudantes de Medicina, em média, de dez a 12 consultas diárias por período, de manhã e à tarde, que somam um total de 20 a 22 consultas por dia, em cada unidade de saúde, além do Ambulatório de Especialidades que conta com vários profissionais de especialidades em dois períodos.

 “Eles [alunos] estão com um grau de aproveitamento muito bom e surpreenderam a todos nós porque eles tiveram um curso bastante teórico e ainda não tínhamos uma avaliação de como estaria a parte clínica, a parte prática desses estudantes. Eles praticamente ‘pegaram a mão’ desses atendimentos. São muito respeitosos com a população, que tem muito carinho por eles”, comentou a Prof.ª Dra. Maria Stella de Mello Ayres Putinatti, docente e gestora dos Termos de Colaboração do curso de Medicina.

“Nós estamos muito contentes com a desenvoltura desses alunos. Acho que vamos entregar um grupo de boa qualidade para o Internato e, também, nós conseguimos o nosso intuito, que é tentar formar da melhor maneira possível, mesmo que com algumas dificuldades, indivíduos profissionais de amanhã”, opinou Maria Stella (Fonte: Assessoria de Imprensa).





Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso.


Comentários

Contato (14) 3722 8957 Endereço Rua Cherentes, 250 - 11° andar - sala 113. Tupã-SP Cep 17.600-090 e-mail: [email protected]

error: Content is protected !!