CotidianoTodasComércio critica realização de “Feira do Brás”. Não observação à legislação vigente e prejuízos aos lojistas estão entre os erros apontados.

Redação Redação11 de julho de 2019
https://i0.wp.com/portal.maistupa.com/wp-content/uploads/2017/11/avenida.jpg?fit=668%2C535&ssl=1

A realização de outro bazar para comercialização de produtos geralmente contrafeitos ou pirateados, conhecida como “Feira do Brás”, provocou indignação entre os comerciantes da cidade. O fato foi também repercutido pelo vereador Amauri Mortágua, que, na sessão da última quarta-feira, cobrou providências das autoridades. “Além de trazer prejuízos ao comércio, os produtos vendidos nestas feiras não têm nenhuma garantia e, portanto, lesam também os consumidores”, criticou.

O vereador lembrou que no ano passado a Prefeitura de Tupã sancionou lei que regulamenta este tipo de atividade no município e, apesar da existência deste dispositivo, o evento foi realizado sem que os organizadores cumprissem boa parte do que é cobrado na lei.“Mesmo sem que os responsáveis observassem e cumprissem o que é determinado em lei, a feira foi realizada. Não houve fiscalização e o evento ocorreu normalmente”, acrescentou Mortágua.

O vereador Amauri Mortágua durante a sessão de quarta-feira: “Feira do Brás é extremamente prejudicial ao comércio tupãense”

O vereador lembrou ainda que não houve qualquer espécie de divulgação do evento nos canais tradicionais de mídia. “Eles utilizaram as redes sociais para comunicar a população sobre a realização da feira e evitaram fazer maior alarde sobre isso, talvez porque entendessem que não estavam cumprindo totalmente a lei”, avaliou.
Mortágua encerrou seu discurso convocando os demais vereadores a prestarem auxílio às entidades de representação do comércio na luta contra este tipo de iniciativa, que é extremamente prejudicial à economia da cidade. “É preciso que o Legislativo se declare contra este tipo de ação, que tanto prejudica nossos comerciantes e a economia do nosso município”, conclamou.

Acit e Sincovat

Ainda na última quarta-feira, a Associação Comercial e Industrial de Tupã (Acit) e o Sindicato do Comércio Varejista de Tupã (Sincomércio) publicaram nota de repúdio no jornal Diário. Intitulado “Quem nos socorrerá”, o texto faz uma crítica profunda à realização do evento, lembrando que a “Feira do Brás” provoca males ao “comércio local, ao erário público e ao consumidor”.

Os presidentes das duas entidades, respectivamente Dirceu Luiz Michelan e Milton Zamora, assinam a nota cobrando “explicações formais acerca da inércia do Executivo Municipal”, que deixou de aplicar ou cobrar a aplicação da lei.

Ainda na nota, as entidades questionam vários pontos: “quanto se arrecadou em impostos? Quantos empregos diretos e indiretos foram gerados? Quantas empresas tupãenses participaram? A quem se dirigirá o consumidor eventualmente lesado?”.

“A indignação da Acit e do Sincomércio é perfeitamente compreensível, uma vez que estas entidades representam um setor que é um dos principais pilares da economia de Tupã e responsável pela geração de milhares de empregos diretos. Se não houver apoio a este segmento, nosso município irá passar por vários problemas em um futuro próximo”, concluiu Amauri Mortágua.





Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso.


Comentários

Contato (14) 3722 8957 Endereço Rua Cherentes, 250 - 11° andar - sala 113. Tupã-SP Cep 17.600-090 e-mail: [email protected]

error: Content is protected !!