DestaquePolíticaSem categoriaTodasFim da moralidade? Prefeito José Ricardo Raymundo, em áudio, teria reconhecido participação em “esquema de rachid salarial” nos cargos comissionados da prefeitura.

O mais grave seria o favorecimento da empresa da família do Prefeito.
Redação Redação4 de abril de 2019
https://i2.wp.com/portal.maistupa.com/wp-content/uploads/2019/02/ricardo1.jpg?fit=1200%2C675&ssl=1

Foi protocolado ano final da tarde desta quinta-feira, na Câmara Municipal de Tupã o segundo pedido de impeachment contra o Prefeito José Ricardo Raymundo em menos de uma de semana.

Desta vez, a acusação é de que o prefeito usando o poder do cargo teria arquitetado um esquema para divisão salarial entre o virtual Secretário da Juventude Oliver Amato, e o ex-candidato a vereador pela coligação PV-PSD Márcio Murini, que seria Diretor de Departamento. 

Segundo a denúncia Ricardo Raymundo teria vislumbrado a possibilidade de receber uma dívida que o denunciante tem com a empresa de sua família, por meio do favorecimento que ele teria no esquema de “rachid”. 

Neste esquema o propenso Diretor de Departamento de Juventude receberia metade do salário do virtual Secretário de Juventude. 

A conversa foi gravada pelo denunciante:

Trechos do áudio:

TEMPO CONTEÚDO DO ÁUDIO
1:28
Márcio – Eu queria zerar dois assuntos com você.
Ricardo – Sim.
Márcio – Graças a Deus aquele lance da dívida a gente matou no acordo.
Ricardo – Hã hã.
Márcio – Mas tem duas situações, uma inclusive eu te passei por whattsap, que o pessoal do governo falando que eu era estuprador. Lembra que eu te falei por whattsap?
Ricardo– Ah, você comentou mesmo.
Márcio – Duas vezes nós conversamos sobre minha possível ida. Pra ajudar vocês.
Ricardo – Hum.
Márcio – Uma foi na sua casa, você falou pra mim assim: Márcio ó, tem nosso problema lá, o pessoal acho que não aceita muito, mas vou acertar com você porque você me ajudou na internet.
Ricardo – Hum hum.
Márcio – Aí o Caio foi e falou pra você não por, e a segunda foi o que nós conversamos na área aqui, o Matias tinha a Secretaria de Juventude, o Oliver ia ser o secretário e eu viria na coordena… na Diretoria, até você falou assim pra mim: viu, o salário é igual, mas faz um, conversa com o Oliver, vê se vocês. aí depois que eu vi que o Matias tinha um comportamento meio duvidoso, eu falei, não vou, não vou aceitar. Então foi as únicas duas vezes que a gente tentou que eu pudesse participar do governo, Ricardo, né?

8:28
Márcio – Aquele dia, aquele dia que você falou pra mim aqui em casa: Oh Márcio, vem e tal, você. As vezes as pessoas não te conhecem direito, meu grupo tem essa restrição por causa da dívida, e tal, mas vc vai aí e racha com o Oliver e tal. Você não fez aquilo para me testar, né Ricardo?
Ricardo – Não, não, não. É que eu queria dá solução mesmo. Você domina a parte de informática. Eu tava precisando eu já coloquei o Murilo tava me dando uma mão. Na parte de facebook, né.
Márcio – Hã, hã.
Ricardo – Mas o que eu queria era, já que tinha que trazer, pra trazer parceiro. Ajudar, né? Daria para resolver o problema.
Márcio – Hum.
Ricardo – Já tinha resolvido.
Márcio – Já tinha resolvido.
Ricardo – Você paga um tanto, abate, é um ganho a mais pra mim, eu vou acertando a dívida. Eu acertava lá com meu irmão, né. Para não ter problema lá. Mas aí deu esses rolos do Tiago com o Oliver, pra traz. Pedindo tudo aí.
Márcio – Eu não aceitei por causa disso, Ricardo. Eu até liguei pro Moacir, falei, Moacir não vou. Por causa disso, disso. Cantei a bola, antes de acontecer.

Em sua sustentação o denunciante sustenta:

Nota-se claramente, pelo teor da conversa, que o Prefeito Ricardo Raymundo confirma as declarações que o  denunciante faz a respeito do ocorrido na oportunidade da proposta inicial: “MARCIO – Aquele dia, aquele dia que você falou pra mim aqui em casa: Oh Márcio, vem e tal, você. As vezes as pessoas não te conhecem direito, meu grupo tem essa restrição por causa da dívida, e tal, mas vc vai aí e “racha” com o Oliver e tal. Você não fez aquilo para me testar, né Ricardo?

RICARDO – Não, não, não. É que eu queria a solução mesmo. Você domina a parte de informática.  Eu tava precisando já que o Murilo tava me dando uma mão. Na parte de facebook, né.” Aqui, fica claro que o Prefeito fez a proposta quando confirma, inclusive explicando a sua intenção que era de “querer a solução” para a situação do senhor Marcio Murini.

Já em outro ponto da gravação o Prefeito Ricardo Raymundo demonstra que estaria usando a máquina pública para intimidar, ou então, orientar de forma forçada o posicionamento do Vereador Eduardo Edamitsu:

10:20
Ricardo – O pessoal tá bem assim na cidade, eu gostei, começou mostrar agora quem tá comigo, a união. De empresa, de loja. Os cara, tão bem movimentado, o Rotary tudo, não tão se conformando. É bom que eles estão vendo um pouco quem é o Shiguero. Querem conversar com o Eduardo. Porque, tão contra. Nós tava fazendo, fazia muitos anos que não fazia um convênio com o Baisebol. Estão fazendo convênio com o Baisebol. Fora as outras categorias da ACERT. Mas é muita sacanagem.

A conversa entre o denunciante e o Prefeito foi no sábado anterior a votação do pedido de impeachment protocolado pelo Advogado André Braga, que foi aceita pela Câmara Municipal no dia 01 de abril. 

Na denúncia endereçada aos vereadores, que deverá ser lida e votada na próxima segunda-feira, o denunciante pede o afastamento imediato do prefeito e sua cassação.

Tentamos contato com o Prefeito Ricardo Raymundo, mas até a publicação da matéria não obtivemos resposta. Tentamos também, contato com o Vereador Eduardo Edamitsu e não obtivemos resposta.





Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso.


Comentários

Contato (14) 3722 8957 Endereço Rua Cherentes, 250 - 11° andar - sala 113. Tupã-SP Cep 17.600-090 e-mail: [email protected]